O Juiz Joel Leonardo, que dirige o Tribunal Supremo (TS) desde Outubro de 2019, tendo substituído, na altura, o anterior titular do cargo, Rui Ferreira, que solicitara demissão na sequencia de escândalos empresariais, por sinal bastante contestado entre os magistrados e demais funcionários do sistema de Justiça no país, tem sido acusado de vários escândalos, assim como de descarado uso e abuso de poder.


Sendo igualmente o Presidente do Conselho Superior da Magistratura Judicial (CSMJ), desde a sua ascensão à liderança do TS, Joel Leonardo tem um mandato marcado por excessivas polemicas, bem como não se coibe de expor as suas debilidades técnicas em direito, como ficou provado no caso do antigo ministro dos Transportes, Augusto Tomás, em que os demais colegas contestaram a sua actuação.